Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Empresas onde trabalhavam portugueses agredidos em Berlim têm "irregularidades"

Lusa

  • 333

Lisboa, 11 abr (Lusa) -- O secretário de Estado das Comunidades adiantou hoje que a fiscalização das empresas para as quais trabalhavam os sete portugueses agredidos em Berlim, em março, revelou um "conjunto de irregularidades" que agora vão ser transmitidas às autoridades alemãs.

"Apuramos, em articulação com a Autoridade para as Condições de Trabalho e o Instituto da Segurança Social um conjunto de irregularidades por parte das empresas que contrataram os trabalhadores colocados na obra de Berlim", cidade onde ocorreu "aquela grave agressão coletiva" contra sete emigrantes portugueses, afirmou à agência Lusa José Cesário.

As irregularidades detetadas, precisou o secretário de Estado, prendem-se "fundamentalmente com as comunicações que são devidas às autoridades de emprego portuguesas".