Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"É urgente Moçambique estar no mercado do gás" -- presidente da Galp Energia

Lusa

  • 333

Maputo, 13 mar (Lusa) - O presidente da Galp Energia, Manuel Ferreira de Oliveira, considerou hoje "urgente" Moçambique entrar no mercado de exportação de Gás Natural Liquefeito (LNG), alertando para o perigo de redução do valor do recurso em caso de atraso.

Ao longo da Bacia do Rovuma, norte de Moçambique, decorre uma das maiores pesquisas e prospeções de petróleo, feitas por uma dezena de multinacionais petrolíferas, entre elas a portuguesa Galp Energia, bem como a norte-americana Anadarko, a malaia Petronas (malaia), a canadiana Artumas, a italiana ENI, a norueguesa Norsh Hydro, entre muitas outras.

Moçambique prevê iniciar em 2018 a venda de gás natural descoberto na costa marítima da província de Cabo Delgado, o que poderá contribuir para o Produto Interno Bruto em 13 por cento, contra os atuais 1,7 por cento, dos recursos naturais no geral.