Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Diretora-geral do FMI lamenta não se ter previsto inconstitucionalidade de normas do OE2012

Lusa

  • 333

Lisboa, 05 jan (Lusa) -- A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, considera em entrevista ao Expresso, "uma infelicidade" não se ter previsto a inconstitucionalidade de algumas medidas, e que Portugal e Irlanda ficam melhor sem as benesses da Grécia.

"O facto de não termos previsto a inconstitucionalidade de algumas medidas propostas no ano passado também foi uma infelicidade", disse a responsável numa entrevista publicada hoje pelo semanário, realizada em Washington, na sede do FMI.

Christine Lagarde aponta ainda a elevada taxa de desemprego, os elevados custos de financiamento das empresas portuguesas face aos praticados a nível europeu e a dificuldade em reduzir as rendas excessivas em setores não transacionáveis.