Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Direitos e justiça social devem fundar nova agenda para desenvolvimento global - ONG

Lusa

  • 333

Lisboa, 10 mai (Lusa) -- A Amnistia Internacional e outras 18 organizações não-governamentais exigiram hoje aos líderes mundiais a adoção de um modelo de desenvolvimento sustentável baseado nos direitos humanos e justiça social, e não na caridade.

A declaração conjunta surge numa altura em que um painel de peritos de alto nível prepara um relatório para lançar as bases para ação pós-2015, ano em que termina o prazo dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).

Esse relatório será apresentado em finais de maio ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que se baseará no documento para fazer diversas recomendações à Assembleia Geral da organização, que em setembro tem agendada uma reunião especial sobre os ODM.