Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Deficientes querem ficar isentos de novos cortes nas pensões

Lusa

  • 333

Lisboa, 26 set (Lusa) -- Os cidadãos deficientes querem ficar isentos dos cortes de 10% nas pensões dos funcionários públicos acima de 600 euros que o Governo quer aprovar, segundo o Movimento para a Manutenção das Reformas dos Deficientes.

Numa carta enviada ao presidente da República, ao Governo e aos grupos Parlamentares, este movimento defende que, à semelhança dos deficientes das Forças Armadas, também os deficientes civis não sejam afetados pelos cortes que constam da proposta de lei que o Governo fez chegar ao Parlamento este mês.

"Desejamos deixar bem claro que estamos inteiramente de acordo, tendo em conta as despesas que as suas deficiências implicam, com a exceção proposta [pensões de reforma extraordinária ou de invalidez dos deficientes das Forças Armadas]. Este movimento pretende, tão só, e não será pouco, que se faça justiça e não se proceda a cortes injustificáveis nas reformas daqueles que delas mais precisam", lê-se na carta enviada pelo Movimento para a Manutenção das Reformas dos Deficientes.