Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Crise afasta portugueses de pedir ajuda a psicólogos - estudo

Lusa

  • 333

Lisboa, 27 mai (Lusa) - Os portugueses acham útil, mas procuram menos a ajuda dos psicólogos ou reduzem o tempo da terapia devido à crise, acabando por recorrer mais aos médicos de família, conclui um estudo da DECOProteste.

Ao mesmo tempo que aumenta as situações de ansiedade ou problemas emocionais, a crise económica afeta o Serviço Nacional de Saúde (SNS), onde o tempo de espera para a primeira consulta de psicologia é de um mês e os contactos passam a ser mensais em 70% dos casos, o que "é pouco", disse à agência Lusa o coordenador do trabalho, Osvaldo Santos.

O estudo, a ser divulgado na próxima edição da revista Proteste, também refere que, neste contexto, os médicos de família acabam por ser o recurso mais procurado e 19% dos inquiridos pediram ajuda ao seu clínico, percentagem mais elevada do que a registada no anterior inquérito (11%), em 2002.