Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Cortes em PPP e fundações não chegam para resolver a crise -- chefe de missão do FMI

Lusa

  • 333

Lisboa, 12 dez (Lusa) - As despesas com parcerias público-privadas (PPP) e fundações são reduzidas no contexto do défice orçamental, e não é aí que está a chave para a crise, disse hoje o chefe de missão para Portugal do Fundo Monetário Internacional (FMI).

"Vão olhar para as contas do orçamento, vejam o dinheiro que é gasto em fundações e em PPP", disse Abebe Aemro Selassie numa palestra na sede da Ordem dos Economistas, em Lisboa, rejeitando que possa haver soluções milagrosas e indolores para a redução na despesa pública.

"As categorias significativas da despesa são salários, pensões, saúde. É preciso olhar para a realidade", continuou Selassie. "Essa ideia de que há um nicho da despesa que podia ser eliminada e com isso resolver o problema [do défice] não é verdade."