Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Construtora do Alto Minho fecha portas depois de os credores recusarem plano de viabilização

Lusa

  • 333

Viana do Castelo, 29 out (Lusa) - Os credores da Aurélio Martins Sobreiro recusaram o plano de viabilização apresentado pelo administrador de insolvência e a empresa, ainda com 120 trabalhadores e que já foi a maior construtora do Alto Minho, será encerrada.

"O plano [de viabilização] necessitava de dois terços dos votos favoráveis para ser aprovado, o que não aconteceu. O resultado da votação já foi comunicado ao Tribunal de Viana do Castelo que, durante a semana, deverá emitir despacho de encerramento da empresa", disse hoje à agência Lusa o administrador de insolvência.

Segundo Nuno Oliveira da Silva, em assembleia e com votação por escrito, 47,9 % dos credores votaram contra o plano de viabilização, incluindo o Banco Espírito Santo (credor de 5,4 milhões de euros).