Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Comissão de Recrutamento do Estado diz que lei proíbe ser 'juiz em causa própria'

Lusa

  • 333

Lisboa, 07 fev (Lusa) - A Comissão de Recrutamento e Seleção da Administração Pública (CRESAP) garante que o novo secretário de Estado da Alimentação estava "totalmente impedido" de integrar júris que incidissem sobre si próprio quando concorreu ao cargo de diretor-geral de Veterinária.

O esclarecimento da CRESAP surge um dia depois de o deputado comunista João Ramos ter afirmado que o novo secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar avaliou o seu currículo e tomou a decisão de se selecionar para diretor-geral de Veterinária, concluindo que, assim, "a CRESAP, que se assume ser um organismo de recrutamento claro e transparente para a Administração Central, percebe-se claramente o que é -- uma manutenção de lugares".

Em comunicado enviado à Lusa, a entidade liderada por João Bilhim, cuja tarefa é selecionar e recrutar os altos quadros da Administração Pública, afirma que o antigo diretor-geral de Veterinário, agora governante, "encontra-se totalmente impedido por lei de integrar júris (...) quando for opositor (candidato) ao concurso; quando se trata de selecionar os dirigentes superiores do departamento a que pertence; quando se tratar de concurso fora do ministério em que se integra".