Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Comerciantes vão emitir faturas manualmente devido a "radicalismo" do Governo - CCP

Lusa

  • 333

Lisboa, 02 jan (Lusa) -- A maioria das empresas que não conseguiu adquirir as novas máquinas registadoras vai emitir faturas manualmente, adiantou hoje a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), que acusou o Governo de "radicalismo" ao não conceder tolerância nos prazos.

"Não tem sentido este radicalismo da posição do Governo, que mais uma vez se coloca na posição de todo o detentor da verdade e que todo o tecido empresarial é um bando de pessoas que querem fugir ao fisco", criticou o presidente da CCP, João Vieira Lopes.

A reforma do regime de faturação entrou em vigor a 01 de janeiro e, garantiu o Ministério das Finanças, "sem exceções", sendo que a fiscalização do cumprimento das novas normas será feita por equipas especiais da Autoridade Tributária (AT) logo no início do 2013.