Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Coimbra/UNESCO: Encontro da Alta defendeu classificação há 26 anos

Lusa

  • 333

Coimbra, 17 jun (Lusa) - A classificação da Alta de Coimbra como Património da Humanidade foi defendida há 26 anos, num congresso em que os participantes alertaram para o "perigo de desaparecimento" deste património.

Durante o I Encontro sobre a Alta de Coimbra, organizado pelo Grupo de Arqueologia e Arte do Centro (GAAC), o seu presidente, Mário Nunes, foi um entusiasta da ideia de avançar com uma candidatura à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

"A Alta de Coimbra é um património de inegável valor que corre o risco de desaparecimento, face à insensibilidade do progresso, à ignorância de muitos e ao interesse económico de outros", afirmou Mário Nunes numa saudação aos 350 congressistas, na abertura dos trabalhos, em outubro de 1987.