Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Cinanima sem portugueses na competição internacional reflete quebra na produção

Lusa

  • 333

Espinho, 15 nov (Lusa) - A presente edição do festival Cinanima não tem nenhuma obra portuguesa na competição internacional e, para o presidente da Casa da Animação, essa é apenas "a ponta do icebergue" da quebra esperada na produção desse género cinematográfico até 2015.

José Miguel Ribeiro vem acompanhando as diferentes edições do festival de cinema de animação que decorre até domingo em Espinho - foi aí, aliás, que viu iniciada a carreira internacional de prémios do seu filme "A Suspeita" (2000) - e admitiu à Lusa que o facto de o certame não ter obras nacionais na competição global não o surpreende, considerando que à edição de 2013 concorrem os filmes produzidos no ano anterior.

"É preciso ter em conta que 2012 foi o ano zero do apoio ao cinema de animação português", explica o realizador. "Esse foi o pior ano de sempre na história da animação nacional, porque foi o primeiro em que o Instituto do Cinema e do Audiovisual [ICA] não teve nenhum concurso [para atribuição de apoios à produção e ao desenvolvimento]".