Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ciência: Malária pode ser combatida com alterações genéticas nos mosquitos

Lusa

  • 333

Lisboa, 19 jun (Lusa) -- O combate à malária através de alterações genéticas que mudem a alimentação dos mosquitos que a transmitem é um dos exemplos apontados pelos cientistas que estudam as mudanças no comportamento animal conseguidas com modificações nos seus genes.

Embora ainda no campo experimental, essa é uma hipótese meramente teórica, mas que está a ser investigada, disse à agência Lusa o investigador principal Carlos Ribeiro, do Programa Neurociências da Fundação Champalimaud, que vai participar num evento científico que decorre dia 21, em Lisboa, para debater como as necessidades de alimento influenciam o comportamento dos animais.

No caso dos mosquitos que transmitem a malária -- doença que mata três milhões de pessoas por ano no mundo e afeta outros 500 milhões -- uma possível alteração genética para impedir a picada de humanos teria que conseguir mudar os hábitos alimentares dos insetos, designadamente na parte onde é produzida a informação de que o sangue o humano satisfaz as suas necessidades de proteínas, explicou o cientista.