Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Chumbo/TC: Sindicatos da Educação preocupados com eventual fim do ensino gratuito

Lusa

  • 333

Lisboa, 08 abr (Lusa) -- Os sindicatos de professores consideraram hoje que a necessidade de cortar despesa pública, nomeadamente na Educação, anunciada domingo pelo primeiro-ministro, poderá pôr em causa a gratuitidade do ensino obrigatório, porque os gastos no setor estão no mínimo.

"A Educação já funciona nos mínimos, está quase reduzida a serviços mínimos e as escolas estão sem recursos, sem dinheiro, sem professores, sem funcionários e sem material, portanto não há possibilidade de haver mais cortes", defendeu o presidente da Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Por isso, afirmou Mário Nogueira, o corte na despesa da Educação só pode passar por três áreas: "privatização, despedimentos e/ou mobilidade especial e tentativa de nova redução dos salários".