Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Chipre: FMI faz "novas exigências a cada meia hora" e atrasa acordo global

Lusa

  • 333

Nicosia, 23 mar (Lusa) -- Chipre garante que não há ainda um acordo com a 'troika', criticando que o FMI faz "novas exigências a cada meia hora", mas a imposição de uma taxa de 20% para depósitos superiores a 100 mil euros parece certa.

As negociações entre o Governo de Chipre e a 'troika' composta pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia ainda decorrem, mas no intervalo das reuniões um alto responsável cipriota foi citado pela agência de notícias de Chipre, CNA, dizendo que as negociações não estão "nem de perto nem de longe fechadas", salientando que "a representante do FMI apresenta novas exigências a cada meia hora".

Mais certa parece ser a decisão de taxar os depósitos bancários mais elevados. A agência grega AMNA e outros meios de comunicação social cipriotas avançam que o governo do Chipre acordou com a 'troika' impor uma taxa de 4% a 20% sobre os depósitos bancários superiores a 100 mil euros.