Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

China defende que EUA deviam melhorar a sua própria situação de direitos humanos

Lusa

  • 333

Washington, 12 jul (Lusa) -- A China defendeu na quinta-feira que os EUA deviam melhorar a sua própria situação de direitos humanos em vez de intervir nos seus assuntos internos, salientando que minorias como a tibetana beneficiam de "liberdades sem precedentes".

"Esperamos que os Estados Unidos melhorem a sua própria situação de direitos humanos na base do respeito mútuo e da não-intervenção nos assuntos internos de cada um", afirmou o conselheiro de Estado chinês, Yang Jiechi, na quinta-feira numa conferência de imprensa em Washington, depois da reunião anual com os Estados Unidos.

Yang Jiechi salientou que a "China fez importantes progressos em matéria de direitos humanos" ao constatar que as "gentes das diferentes regiões, nomeadamente Xinjiang e Tibete, vivem mais felizes e beneficiam de liberdades sem precedentes".