Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

China: Ativista Ni Yulan conseguiu redução simbólica da pena de prisão

Lusa

  • 333

Pequim, 27 jul (Lusa) - A ativista chinesa dos direitos humanos Ni Yulan obteve hoje uma redução simbólica de dois meses de prisão, após revisão da sentença de dois anos e oito meses a que tinha sido condenada por "distúrbios e fraude", anunciou o advogado.

Um ano depois de terem sido presos, Ni Yulan, que sofre de uma deficiência física e vive confinada a uma cadeira de rodas, e o seu marido, Dong Jingin, foram condenados em abril passado a dois anos e dois meses de prisão por terem "causado distúrbios" e "destruído bens públicos e privados".

Ni Yulan tinha sido igualmente acusada de fraude, acusação que foi agora retirada no recurso da sentença, o que reduziu a pena a dois anos e seis meses, anunciou o seu advogado, Cheng Hai, no exterior do tribunal de Pequim.