Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Caso BCP: Plano de manipulação das ações no banco é um "absurdo" - Filipe Pinhal

Lusa

  • 333

Lisboa, 11 out (Lusa) - O ex-administrador do BCP Filipe Pinhal afirmou hoje em Tribunal que o alegado plano dos quatro arguidos para manipular o mercado "é um absurdo" porque seria impossível à administração impor ordens que mobilizariam mais de 100 funcionários.

Filipe Pinhal, que está a ser julgado juntamente com Jorge Jardim Gonçalves, Christopher de Beck e António Rodrigues pelos crimes de manipulação de mercado e falsificação de documentos entre 2002 e 2007, garantiu que, mesmo com outros administradores, não seria possível impôr a criação de 'offshores' com a intenção de valorizar os títulos do BCP e obter mais valias de forma ilegal, prejudicando o banco, porque "para levar a cabo este plano teriam de se mobilizar mais de 100 colaboradores do BCP".

O ex-administrador adiantou também que, pelos factos que são acusados, decorridos ao longo de dez anos, o alegado plano não seria exequível porque "muitas mudanças na estrutura do BCP e na própria administração" e para "instrumentalizar ordens em determinado sentido, estariam envolvidas mais de 300 pessoas".