Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Carlos Costa Pina diz que "não se percebe claramente" o motivo das privatizações

Lusa

  • 333

Lisboa, 06 dez (Lusa) - O antigo secretário de Estado do Tesouro de José Sócrates, Carlos Costa Pina, afirmou hoje que "não se percebe claramente o principal motivo das privatizações", defendendo que "não devem obedecer a um princípio de emergência, mas de estratégia".

Costa Pina, que falava na conferência "As privatizações não se discutem?", em Lisboa, apontou como exemplo o que se está a passar no setor aeroportuário: "Vamos optar por privilegiar o encaixe financeiro ou a estratégia de competitividade?", interrogou, referindo-se à ANA Aeroportos e à TAP.

Outro aspeto apontado pelo antigo governante foi o modelo em que assentam as privatizações. Para Costa Pina, é preciso definir "se o modelo incorpora um sistema de subvenções públicas, ou se o contrato de concessão é algo que é definido previamente à privatização, ou se fica a jusante da privatização".