Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Canoagem "chocada" com "corte cego" de 20 por cento no alto rendimento

Lusa

  • 333

Porto, 22 mai (Lusa) -- A canoagem portuguesa está "chocada" com o corte de 20 por cento até agosto na dotação pública para o alto rendimento da modalidade, manifestando-se "preocupada, revoltada e altamente desmotivada" com o que considera o desprezo da tutela pelo "mérito desportivo".

"Esta ausência de estratégia para o desporto de alto rendimento é apenas mais do mesmo. A federação estava convicta e crente de que finalmente a política e discurso do mérito seria mais do que mero discurso. E ficamos ainda mais chocados quando vemos que o corte, a renegociar após agosto, é afinal cego, igual para todas as federações, não premiando o mérito no alto rendimento", criticou o presidente da federação de canoagem Mário Santos, em declarações à agência Lusa.

O dirigente, que foi Chefe de Missão de Portugal a Londres2012 e será igualmente o responsável luso no Rio2016, recordou que a canoagem "teve mais de 70 pódios internacionais nos últimos anos" e que nos derradeiros Jogos Olímpicos "conquistou a única medalha e metade dos 28 pontos de Portugal" no evento, sendo que, ainda assim, "no ranking dos apoios do Estado está muito abaixo do ranking dos resultados de mérito desportivo".