Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Cancro infantil é ameaça crescente nos países pobres - estudo

Lusa

  • 333

Londres, 20 fev (Lusa) - O cancro infantil está a aumentar nos países pobres, onde ocorrem 94% das mortes de crianças provocadas por tumores, revela um estudo hoje publicado, que atribui a alta mortalidade à ausência de tratamento adequado.

"A dura realidade é que o acesso ao tratamento é muito fraco nos países de médio e baixo rendimento. Uma percentagem desconhecida de crianças com cancros potencialmente curáveis nunca recebe tratamento - nem sequer tratamento paliativo - e muitos dos que recebem algum tratamento morrem apesar disso", diz um dos autores do estudo, Ian Magrath, da Rede Internacional para o Tratamento e Investigação do Cancro, na Bélgica.

Publicado na revista científica 'Lancet Oncology', o estudo, que reuniu alguns dos maiores especialistas em cancro do mundo, sublinha que o cancro infantil, outrora considerado uma doença de países ricos, é cada vez mais uma ameaça nos países em desenvolvimento.