Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Camponeses moçambicanos desaproveitam linha de crédito para potenciar revolução verde

Lusa

  • 333

Chimoio, 14 mai (Lusa) - Os agricultores no corredor da Beira, centro de Moçambique, aumentaram em número mas não aproveitam as linhas de crédito agrário por não apresentarem "propostas viáveis e aplicáveis", além de terem outros empréstimos malparados, disse hoje à Lusa fonte oficial.

Emerson Zhou, diretor executivo do Corredor do Crescimento Agrícola da Beira (BAGC em inglês), disse que, das cerca de 50 propostas de financiamento remetidas à instituição nos últimos três anos, apenas 12 ficaram aprovadas, porque as restantes não tinham ideias claras quanto à cadeia de valor e ao plano do agronegócio.

"Não estamos a receber propostas viáveis e aplicáveis, e parte do problema é que as ideias nos projetos não são baseadas numa investigação clara sobre oportunidades de negócio rentável", disse à Lusa Emerson Zhou.