Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Câmara de Lisboa quer assumir totalidade do passivo da EPUL e já pagou uma prestação

Lusa

  • 333

Lisboa, 18 dez (Lusa) - A Câmara de Lisboa pretende assumir a totalidade do passivo da Empresa Pública de Urbanização da capital (EPUL), de 85 milhões de euros, tendo já pago hoje uma prestação de cerca de 23,5 milhões à banca internacional.

Na assembleia municipal desta tarde, o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, afirmou que a extinção da EPUL é a "melhor forma" de "proteger o seu património e garantir os direitos dos credores e dos trabalhadores" da empresa.

"Aquilo que a Câmara de Lisboa tem de fazer é assumir os 85 milhões de passivo da EPUL", disse o autarca socialista, acrescentando que hoje mesmo o município pagou "a prestação devida" pela EPUL aos seus credores internacionais, para "evitar que houvesse qualquer tipo de exposição a um risco de incumprimento internacional".