Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Câmara de Espinho arrisca ser penhorada por não poder pagar a firma que deve ao Fisco

Lusa

  • 333

Espinho, 07 fev (Lusa) - Viaturas, contas bancárias e computadores da Câmara de Espinho podem ser penhorados devido a uma dívida de 400.000 euros à empresa de construção Silarba, mas o Executivo diz-se impossibilitado de saldar contas com entidades que devem ao Estado.

Em causa estão várias obras e reparações que a empresa de construção civil de Matosinhos terá efetuado em escolas, associações e outros espaços de Espinho ao longo de três anos, ao abrigo de contratos tanto com o Executivo socialista anterior, como com a equipa social-democrata em funções desde 2009.

A dívida acumulada será agora de aproximadamente 400.000 euros, a que acrescem os juros, mas, segundo declarou à Lusa Arnaldo Barros, proprietário da Silarba, as partes teriam acordado em junho de 2012 num pagamento de apenas 363.600 euros, a saldar em 36 prestações mensais.