Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Bruxelas diz que programa cautelar a Portugal obrigará "a condicionalidades" e supervisão da 'troika'

Lusa

  • 333

Bruxelas, 12 set (Lusa)- O comissário europeu para os Assuntos Económicos e Monetários considera que Portugal tem "várias opções possíveis para uma fase pós-programa" de assistência, mas qualquer apoio no regresso aos mercados em 2014 obrigará a "condicionalidades", mantendo a supervisão da 'troika'.

Estas posições constam de uma resposta escrita do comissário europeu para os Assuntos Económicos e Monetários, Olli Rehn, a uma pergunta do eurodeputado do PSD Nuno Teixeira, a que a agência Lusa teve acesso.

"Várias são as opções possíveis no que toca à fase pós-programa, embora seja prematuro avançar com um cenário e um esquema específicos, neste momento parece provável que Portugal possa solicitar algum tipo de apoio para facilitar o seu regresso aos mercados", refere o membro do executivo comunitário, que acrescenta que "a questão da melhor forma de assegurar uma saída harmoniosa de Portugal do atual programa foi longamente debatida entre as autoridades portuguesas e os seus parceiros internacionais".