Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Bispo da Guarda defende que bancos e ricos é que devem pagar a crise

Lusa

  • 333

Guarda, 11 out (Lusa) - O bispo da Guarda, Manuel Felício, considerou hoje que os bancos e os ricos é que "têm que pagar a crise" e sugeriu taxas para automóveis topo de gama e casas de luxo.

"Os que têm [dinheiro] é que têm que pagar a crise. Os bancos têm que pagar a crise. Os balúrdios que se entregou para sustentar bancos que já deviam estar enterrados há muito tempo. Eu já disse que lhes fazia o funeral de graça. Estamos agora a sofrer os efeitos", disse hoje Manuel Felício à agência Lusa.

O prelado diocesano, que falava à margem da sessão de abertura das "IV Jornadas Saber Envelhecer", que decorrem hoje e sábado na Guarda por iniciativa da Casa de Saúde Bento Menni, questionou: "Porque é que não cortam nessas realidades?".