Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Benfica/Eleições: Rui Rangel aponta falhas no processo Apito Dourado

Lusa

  • 333

Lisboa, 25 out (Lusa) -- O candidato à presidência do Benfica Rui Rangel reconheceu que houve falhas no processo Apitou Dourado e que, neste âmbito, "mais vale absolver um criminoso que condenar um inocente".

Em entrevista à agência Lusa, o juiz desembargador, adversário nas eleições do Benfica de Luís Filipe Vieira, que se recandidata a novo mandato como presidente, ressalva que estará "sempre na primeira linha no combate à corrupção", mas aponta "entorpecimentos" na investigação do Apito Dourado, que motivaram "falhas" no processo.

"Há falhas e não poderiam ter existido. Uma escuta telefónica é um meio brutalmente invasivo da privacidade das pessoas e a lei diz que têm de ser autorizadas por um juiz de instrução criminal. Se se fazem escutas não autorizadas, essas escutas não podem ter validade", frisou Rui Rangel.