Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

BE questiona Governo sobre nomeação para a CGD de gestor que saiu do banco com indemnização

Lusa

  • 333

Lisboa, 25 jun (Lusa) - O Bloco de Esquerda questionou hoje o Ministro das Finanças sobre a eventual nomeação de João Coutinho para administrador executivo da CGD, que em 2004 saiu do banco público com uma indemnização entre 500 e 800 mil euros.

O Público noticia hoje que o Governo escolheu nomear João Coutinho como administrador executivo da CGD, que já esteve no banco quando Mira Amaral era presidente executivo e de onde saiu em 2004 com uma indemnização entre 500 e 800 mil euros. O jornal diz ainda que a Comissão de Seleção e Recrutamento da Administração Pública (CRESAP) deu 'luz verde' à nomeação de João Coutinho (que até fevereiro deste ano estava no Barclays Portugal), mas que considerou a indemnização uma questão ética a ser tida em conta pela tutela no momento de negociar o salário.

O Bloco de Esquerda, na pergunta enviada ao Ministério das Finanças a que a Lusa teve acesso, considera que se devem esclarecer "todas as questões éticas relacionadas com esta nomeação, sobretudo no que diz respeito ao valor e tratamento da indemnização anteriormente atribuída".