Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

BE: Moção B critica falta de democracia interna e quer alterações para "esbater" correntes fundadoras

Lusa

  • 333

Lisboa, 20 set (Lusa)- Os apoiantes da Moção B à VIII Convenção do BE consideraram hoje que "a democracia interna e a representatividade" no partido "não funcionam" e anunciou a apresentação de alterações estatutárias para "esbater a hegemonia das correntes fundadoras".

Na conferência de imprensa de apresentação da moção alternativa à da direção, na sede do BE, participaram seis aderentes do partido: Daniel Oliveira, Adelino Fortunato, João Madeira, Helena Carmo, Sara Goulart e Margarida Santos.

Adelino Fortunato disse que os subscritores desta orientação política, alternativa à da atual direção, a Moção A, fazem "um balanço crítico" da "natureza do funcionamento do BE", que vive um "regime de democracia interna e de representatividade que não funciona e que se baseia na hegemonia partilhada entre correntes fundadoras".