Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Bancos necessitam reforçar provisões em 474 ME para construção e imobiliário- BdP

Lusa

  • 333

Lisboa, 03 dez (Lusa) -- Os bancos portugueses necessitam de reforçar até final do ano em 474 milhões de euros as provisões para imparidades ligadas aos setores da construção e do imobiliário, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

Este montante é cerca de metade do total de 861 milhões de euros que o supervisor identificou que os bancos precisavam a 30 de junho, data que serviu de base ao programa de inspeções à exposição que as principais instituições financeiras têm aos setores da construção e promoção imobiliária.

No entanto, explicou o BdP, a 30 de setembro os bancos já tinham coberto "parte das necessidades de reforço de imparidade identificadas, reduzindo o seu montante de 861 milhões de euros para 474 milhões de euros". O reforço terá de ser feito até 31 de dezembro.