Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Banca: Jardim Gonçalves aponta o dedo aos acionistas que "esmagaram" o BCP

Lusa

  • 333

Lisboa, 25 jun (Lusa) - O fundador do BCP, Jorge Jardim Gonçalves, acusou hoje o "grupo dos sete" acionistas do banco de terem empurrado o valor de mercado da instituição para mínimos históricos, numa alusão à alteração do modelo societário decidida em 2007.

"Hoje é dia de aniversário [do BCP] e, portanto, é correto que se lembre os 205 acionistas que fundaram e constituiram o BCP. Mas também não poderei deixar de recordar outro grupo, não de 205, mas de sete acionistas, que tiveram o propósito de esmagar pessoas. Não o conseguiram, mas esmagaram o banco até estes valores, que são valores residuais", afirmou aos jornalistas Jardim Gonçalves.

O ex-presidente do BCP prestou breves declarações à comunicação social no final da assembleia-geral do banco que aprovou por esmagadora maioria um plano de recapitalização que contempla o recurso a apoio estatal, mostrando-se incrédulo com o preço a que são negociadas as ações do BCP em bolsa (0,10 euros foi o valor do fecho da sessão de hoje).