Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Baía do Tejo quer territórios da Margem Sul na "linha da frente" da reindustrialização

Lusa

  • 333

Barreiro, 23 mai (Lusa) -- A administração da empresa Baía do Tejo defende que as áreas das antigas zonas industriais da Quimiparque, da Siderurgia e da Margueira, na região de Lisboa, devem estar na "linha da frente" do processo de reindustrialização do país.

A Baía do Tejo, empresa pública responsável pelos parques empresariais do Barreiro, Seixal e Estarreja e também com responsabilidades em Almada, assumiu a coordenação do projeto Arco Ribeirinho Sul, que tem como objetivo a requalificação daquelas antigas áreas industriais, na margem sul do Tejo.

"O ADN destes territórios é industrial e o processo de reindustrialização do país tem que passar por estes territórios, pois têm todos os fatores de atratividade. Este processo está na agenda do Governo e temos que estar na linha da frente", disse à Lusa o presidente do concelho de administração da Baía do Tejo, Jacinto Pereira.