Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Austrália: PM promete continuar com ajuda diplomática ao fundador do portal WikiLeaks

Lusa

  • 333

Sidney, 20 jun (Lusa) - O Governo australiano assegurou hoje que continuará a prestar ajuda consular ao fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, que pediu asilo à embaixada do Equador em Londres para evitar a sua extradição para a Suécia.

A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, realçou que Assange, 41 anos, é responsável pelas suas decisões pessoais e garantiu que este recebeu "mais assistência consular do que qualquer outro cidadão do país" e continuará a recebê-la.

A chefe de Governo recusou comentar, porém, as alegadas intenções dos Estados Unidos de querer julgar o fundador do portal WikiLeaks no seu território, apesar de ter garantido que Camberra se "opõe à extradição em casos de pena de morte" envolvendo qualquer um dos seus cidadãos, durante uma conferência de imprensa à margem da cimeira do G20, em Los Cabos, no México.