Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Austeridade: Corte na despesa devia ser no consumo intermédio e juros da dívida - STE

Lusa

  • 333

Lisboa, 03 mai (Lusa) - O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) sublinhou hoje que as medidas apresentadas pelo Governo "continuam a castigar" trabalhadores e pensionistas e defende que corte na despesa poderia ser feito no consumo intermédio e juros da dívida pública.

"Enquanto a despesa com o pessoal da administração pública diminui 1.930 milhões de euros entre 2014 e 2017, a rubrica do consumo intermédio", que engloba as aquisições de bens e serviços correntes da Administração Central e os encargos com as Parcerias Público-Privadas (PPP), "reduz-se apenas 39 milhões de euros neste período", refere o sindicato em comunicado.

O STE considera que isto revela que "a aquisição de bens e serviços correntes da administração central e os encargos líquidos com as PPP vão continuar a progredir", para cerca de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 e 0,7% em 2015/16.