Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Associação médica dos EUA adverte que alimentação forçada em Guantánamo vai contra a ética

Lusa

  • 333

Washington, 30 abr (Lusa) -- O presidente da Associação Médica dos Estados Unidos, enviou, esta segunda-feira, uma carta ao secretário da Defesa, Chuck Hagel, advertindo que vai contra a ética médica obrigar profissionais a alimentar à força presos de Guantánamo, noticia o Daily Medical.

Na missiva, Jeremy Lazarus pede ao pessoal da base naval norte-americana situada em território cubano que tenha em conta que pedir a um médico que proceda à alimentação forçada de presos "adultos e mentalmente capacitados" em greve de fome vai contra os princípios médicos da profissão.

A chamada de atenção coincide com a chegada de 40 médicos à base de Guantánamo, onde, segundo um porta-voz do centro de detenção, já existem 100 detidos, de um total de 166, que se recusam a comer.