Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

APRITEL critica FMI porque preços das comunicações são dos que mais desceram

Lusa

  • 333

Lisboa, 25 mar (lusa) -- A Associação dos Operadores de Comunicações Electrónicas (APRITEL) lamentou hoje declarações "não fundamentadas" da missão do FMI sobre os preços das telecomunicações, que diz estarem "entre os que mais descem" em Portugal, fruto de uma concorrência "muito agressiva".

"Só um profundo desconhecimento deste setor, em Portugal, pode justificar a ligeireza das afirmações proferidas. E isso constitui um motivo de preocupação para a APRITEL, não só do ponto de vista do setor, como do país, tendo em conta outros desafios que Portugal enfrenta", afirmou Ana Paula Marques, presidente da APRITEL, em comunicado hoje divulgado.

O responsável máximo da equipa do FMI para Portugal, Abebe Selassie, numa entrevista à Lusa, disse que "o principal objetivo" para os preços das telecomunicações e de outros setores não transacionáveis é estarem em linha ou começarem a cair à medida que a concorrência aumenta ou a procura diminui.