Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Anomalias congénitas: Mais de metade detetadas depois do nascimento - relatório Ricardo Jorge

Lusa

  • 333

Lisboa, 01 ago (Lusa) -- Mais de metade das anomalias congénitas em Portugal só são detetadas no nascimento ou durante o primeiro mês de vida do bebé, mas está a aumentar o diagnóstico pré-natal, indica um relatório do Instituto Ricardo Jorge.

Segundo a análise do Registo Nacional de Anomalias Congénitas, entre 2008 e 2010, em 30 por cento (%) dos casos as anomalias foram detetadas no momento do nascimento, 18% até à primeira semana de vida e quase três por cento até à quarta semana de vida.

O diagnóstico pré-natal das anomalias congénitas ocorreu em 47% dos casos e aumentou cinco por cento em relação ao anterior período analisado (2002-2007). Isto levou também a um aumento do número de gestações que terminou numa interrupção médica da gravidez.