Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Alternativas: José Manuel Pureza exorta o país a "combater de pé pela sua dignidade"

Lusa

  • 333

Lisboa, 05 out (Lusa)- O bloquista José Manuel Pureza afirmou hoje que Portugal "não está condenado a ser um discípulo acrítico e 'graxista'" e exortou os portugueses a "baterem-se por um país que esteja de pé a combater pela sua dignidade".

Numa intervenção no Congresso Democrático das Alternativas, em Lisboa, Pureza lembrou à plateia "talvez dos momentos mais dignos da História" aconteceram "quando Portugal não pediu autorização à Europa e ao mundo", como quando pôs "termo ao fascismo e abriu a janela da democracia no 25 de Abril", quando fez "da sua causa a libertação de Timor" ou quando aboliu a prisão perpétua ou a pena de morte.

"Tivesse triunfado a lógica do bom e obediente aluno [em Portugal] e estaria o povo de Timor ainda a lutar pela sua autodeterminação", afirmou o sociólogo do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.