Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ajuda externa: Resto do programa deve centrar-se no apoio ao financiamento de empresas - CIP

Lusa

  • 333

Lisboa, 20 nov (Lusa) - A Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) mostrou-se hoje agradada com a sexta avaliação positiva da 'troika' ao programa de ajustamento português, mas adverte para a necessidade de o mesmo se focar agora no apoio ao financiamento das empresas.

"É essencial que a segunda metade do plano de ajustamento, cumpridas seis das doze revisões previstas, se centre no apoio ao financiamento das empresas, em medidas de reforço da competitividade e na reforma efetiva do Estado, sem a qual não é possível reduzir a carga fiscal para níveis suportáveis pela economia", aponta a entidade em nota hoje endereçada às redações.

A CIP enaltece "a disponibilidade para estudar a criação de um banco de fomento" que ajude a potenciar "uma melhor alocação dos fundos estruturais, mas adverte que "continuam a faltar várias outras medidas" tidas como "essenciais para assegurar o financiamento das empresas", como "a criação de fundos de recapitalização de empresas utilizando a verba remanescente do pacote de 12 mil milhões de euros do empréstimo externo destinado" ao setor da banca.