Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ajuda externa: Não faz sentido penalizar portugueses por mais tempo se for possível cumprir programa - PM

Lusa

  • 333

Bruxelas, 28 jun (Lusa) - O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, voltou hoje a demonstrar confiança no cumprimento dos objetivos do acordo de ajuda externa com a 'troika', advertindo que mais tempo para a sua aplicação representaria uma maior penalização para os portugueses.

"Não faz sentido estar a penalizar os portugueses por mais tempo e manter a nossa dependência orçamental por mais tempo se for possível cumprir o nosso programa atingindo as nossas metas. É por isso que estou a lutar, o Governo está a lutar, e os portugueses estão a fazer grandes sacrifícios", disse Passos Coelho em Bruxelas, no final de um Conselho Europeu de dois dias.

Reiterando a vontade de "preservar o país de assistência" mais prolongada e novos condicionalismos e medidas de austeridade, sobre as quais voltou a dizer não querer "especular", o primeiro-ministro sublinhou, contudo, que "se a realidade mostrar que há condições que mudam o suficiente" para que seja necessária uma outra leitura, esta será analisada.