Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Advogado de Duarte Lima entende que prisão domiciliária não deve ser mantida

Lusa

  • 333

Lisboa, 18 nov (Lusa) - O advogado de Duarte Lima, acusado de burla qualificada e branqueamento de capitais no sábado, disse hoje que a medida de coação a aplicar ao ex-líder parlamentar do PSD deve "ser menos gravosa" do que a atual prisão domiciliária.

O Ministério Público (MP) propôs ao juiz Carlos Alexandre a manutenção de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, a Duarte Lima, mas o advogado Artur Soares da Veiga entende que "a investigação acabou" e que o pressuposto que levou à determinação da medida preventiva restritiva de liberdade "está ultrapassado".

"Não deveria ser a mesma, porque o argumento importante que o MP argumentava, que era o perigo de perturbação do inquérito, já se esgotou com o despacho de acusação, entregue no sábado", disse Artur Soares da Veiga à agência Lusa, admitindo o pedido de abertura de instrução do processo depois de o consultar.