Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Administradores judiciais defendem inviabilidade da Ambar e liquidação do património

Lusa

  • 333

Porto, 07 ago (Lusa) -- Os administradores judiciais da Ambar defendem a inviabilidade da empresa e propõem a liquidação do seu património "com a maior urgência" para pagar aos credores, segundo o relatório de insolvência a que a Lusa hoje teve acesso.

Nos termos do relatório de insolvência da emblemática empresa de produtos de papelaria do Porto, que tem assembleia de credores marcada para 17 de setembro, "insistir na recuperação da empresa, sem ficar demonstrado que é possível pô-la a laborar em área de resultados positivos, terá como consequência o delapidar dos poucos ativos que restam, ou então, o agravamento do seu passivo, através de mais salários em atraso ou acumular de dívida fiscal e juros".

Para os administradores Armando Rocha Gonçalves e José da Costa Araújo, "a marca Ambar, a posição contratual na locação financeira, as máquinas e os poucos 'stocks' que vão restar, terão algum valor numa operação de venda do estabelecimento como um todo, sem passivo e sem trabalhadores".