Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Administrador demissionário da Fundação Alter Real considera "desastroso" modelo de gestão privada

Lusa

  • 333

Alter do Chão, 12 nov (Lusa) -- O administrador demissionário da Fundação Alter Real, António Hemetério Cruz, considerou hoje "desastroso" o modelo de gestão privada anunciado pela ministra da Agricultura na terça-feira, garantindo que a atividade não é autossustentável.

Em declarações à agência Lusa, António Hemetério Cruz afirmou que o estudo financeiro apresentado ao Governo por um grupo de fundadores, a 30 de novembro, para viabilizar a instituição com sede em Alter do Chão é "fantasioso", pois baseia-se na perspetiva de "receitas impensáveis".

A título de exemplo, o antigo presidente da Câmara de Alter do Chão referiu que a proposta prevê uma receita de 500 mil euros com a venda de éguas, quando a média dos últimos quatro anos foi pouco além dos 200 mil euros e a Fundação Alter Real (FAR) está a reduzir o número de animais. No final de setembro, o Governo determinou a cessação total de apoios financeiros à FAR e, no mês anterior, a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, havia apresentado dois cenários: a continuidade do modelo fundacional sem o financiamento do Estado e a extinção da fundação, com a integração das suas atividades na Companhia das Lezírias.