Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ação de domingo foi mais do que simples ato de desestabilização, diz Governo de transição da Guiné-Bissau

Lusa

  • 333

Bissau, 22 out (Lusa) - O Governo de transição da Guiné-Bissau reuniu-se hoje com a comunidade internacional presente no país para a informar dos incidentes de domingo, que o executivo considera tratar-se "mais do que um simples ato de desestabilização".

Numa curta reunião, o primeiro-ministro de transição, Rui Duarte de Barros, explicou a sua versão dos factos, na sequência da morte, na manhã de domingo, de seis pessoas alegadamente envolvidas num ataque ao quartel dos para-comandos, uma unidade de elite das Forças Armadas da Guiné-Bissau.

No final, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Governo de transição, Faustino Imbali, disse que o executivo pretendeu mostrar que não se tratou de "uma revolta interna dos militares mas sim de elementos estranhos às Forças Armadas".