Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A Calçada da Glória sobe-se de bicicleta e não de elevador

Lusa

  • 333

Lisboa, 17 mai (Lusa) -- Por uma vez, a Calçada da Glória parou os elevadores que ligam os Restauradores ao Bairro Alto e permitiu o livre acesso de bicicletas de todos os tamanhos e feitios, num regresso da Subida à Glória depois de 25 anos de ausência.

A originalidade não está tanto no feito, mas nas circunstâncias. Não que subir 265 metros com uma inclinação média superior a 17 por cento seja proeza a desvalorizar, mas em que outra prova haveria semelhante harmonia entre amadores e profissionais, antigos e atuais campeões, homens e mulheres, portugueses e estrangeiros?

E há mais: na Subida à Glória não há regras, trabalho de equipa -- são todos contra todos e no final, em caso de permanência do recorde de Alfredo Piedade, até pode nem haver vencedores -, nem bicicletas estereotipadas.