Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

10 Junho: Reformas nas Forças Armadas devem ter consenso alargado e horizonte temporal dilatado - Cavaco Silva

Lusa

  • 333

Lisboa, 10 jun (Lusa) - O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, defendeu hoje que quaisquer reformas nas Forças Armadas devem envolver as chefias militares e ser objeto de "um consenso alargado", com decisões a serem encaradas num horizonte temporal mais dilatado.

"Quaisquer reformas nas Forças Armadas devem basear-se num processo de responsabilidade e decisão política, envolvendo necessariamente as chefias militares, e ser objeto de um consenso alargado entre os diversos órgãos de soberania", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa intervenção na cerimónia militar das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que este ano decorreu em Lisboa, em frente ao Mosteiro dos Jerónimos.

Falando perante militares de todos os ramos das Formas Armadas, das chefias militares, bem como do primeiro-ministro e personalidades de todos os quadrantes políticos, Cavaco Silva preconizou ainda que "as decisões a tomar devem ser encaradas num horizonte temporal mais alargado, de modo a evitar, a prazo, o enfraquecimento do desempenho e da capacidade operacional das Forças Armadas".