Lourinhã, 03 mai (Lusa)- O Ministério Público (MP) da Lourinhã deduziu Acusação contra quatro arguidos, dois dos quais empresários da noite, pelos crimes de auxílio à imigração ilegal e lenocínio, praticados durante dois anos de forma organizada.

Segundo a acusação do MP, a que a agência Lusa teve hoje acesso, os dois empresários de estabelecimentos de diversão noturna, de 39 e 61 anos, dedicavam-se à "promoção e exploração de mulheres para a prática de relações sexuais em troca de dinheiro", após investigações desencadeadas pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) entre março de 2007 e junho de 2009.

Os dois exerciam um negócio de exploração da prostituição feminina "de forma organizada, diária e profissional", estando o estabelecimento de diversão noturna, localizado nas imediações da Lourinhã, aberto ao público todos os dias.