Lisboa, 20 out (Lusa) -- A Juventude Social-Democrata (JSD) defendeu hoje que a culpa não deve "morrer solteira" relativamente aos erros de "proporções descomunais" cometidos por responsáveis políticos, considerando que existem no ordenamento jurídico português "mecanismos bastantes" para os responsabilizar judicialmente.

Em carta hoje entregue ao Procurador-Geral da República (PGR), a JSD considera não ser possível "aceitar com bonomia a insensatez e a irresponsabilidade daqueles que de forma óbvia e deliberada, movidos por interesses mais ou menos obscuros, atentaram vergonhosamente contra a nação".

"Como é público e notório, a JSD vem defendendo, ao mesmo tempo, a responsabilização possível e um maior aprofundamento dos mecanismos legais atinentes à responsabilização criminal dos agentes políticos que, no exercício das suas funções, comprovadamente atentem contra a ´solvabilidade´ (´lato sensu´) da República pondo em risco a própria soberania nacional e as legítimas perspetivas de futuro que a todos os cidadãos cabem", começam por lembrar.