António Costa Gomes argumenta que Noronha do Nascimento não tem competência para dar ordens neste caso.

A notícia é avançada pela edição deste sábado do Diário de Notícias, que adianta que o juiz de instrução do processo "Face Oculta" já respondeu mesmo ao despacho com a ordem do Supremo, recusando cumprir a ordem de destruição das escutas que envolvem o primeiro-ministro.

Ainda este sábado, o procurador-geral da República vai anunciar qual o destino de mais cinco escutas entre Armando Vara e José Sócrates.