Segundo fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto à Lusa, os dois jovens, um da Maia e outro do Porto, foram detidos cerca das 1h35.

Foram-lhes também apreendidos gorros e os martelos que usaram para destruir os vidros das agências bancárias.

A VISÃO soube, por fonte anónima ligada ao processo que os dois jovens estudantes, de 18 e 19 anos, assumiram os actos e justificam-nos como "forma de protesto contra as instituições bancárias, uma vez que representam fascismo económico".

Os detidos deverão ser ouvidos ainda esta manhã no Tribunal de Instrução Criminal, no Porto. O Ministério Público pede, como medida de promoção, apresentações periódicas às autoridades.